sábado, 27 de agosto de 2016

TRADICIONAL E SECULAR FESTA DE NOSSA SENHORA DA PENHA - CRATO CE



E ele vem com a fé na Padroeira do Crato, Nossa Senhora da Penha... "A voz que cantou Triste Partida, continua cantando depois que partiu, na belíssima interpretação de João Cláudio Moreno..." 

Salve Rainha a Mãe de Misericórdia 

Por: Xico Bezerra

FORRO DA GALERA "A PEGADA QUE É SUCESSO - HOJE NO SÍTIO LAGOINHA





Por: Forro da Galera

MANTENDO A TRADIÇÃO, PONTO TURÍSTICO DA CIDADE " BODEGA DO EXPEDITO DO BECO" VIRA MANCHETE




Click na setinha ao centro da imagem e curta a reportagem na íntegra e na originalidade " BODEGA DO EXPEDITO DO BECO", na Avenida José Bezerra, Centro, sempre atraindo muitos visitantes de todos os recantos do Brasil; ponto de encontro de turistas pela curiosidade de conhecer e nativos para encontrar raridades de produtos e bugigangas ...

TRIUNFO-PE.

HOMICÍDIOS: A TRISTE LIÇÃO NORDESTINA





*Bene Barbosa

De acordo com o Mapa da Violência 2016, das 150 cidades com maior taxa de homicídios por uso de armas de fogo no Brasil, 107 estão no Nordeste. Uma triste realidade que traz, ou deveria trazer, à tona duas verdades incontestes: o desarmamento fracassou e desenvolvimento econômico não significa menos crimes.

Desde os anos 2000 a região nordestina é destaque nas tais campanhas de desarmamento com adesão notável dos cidadãos honestos que, de boa-fé, entregaram armas e munições ao governo que prometeu em contra partida, além do pagamento de alguns trocados – e que em muitos casos nem isso cumpriu dando o mais puro e simples calote -, trazer mais policiamento, mais proteção, mais segurança ao cidadão. Promessas, promessas...

Na questão da venda legal, o nordeste também se destaca no cenário nacional e de acordo com dados  da Polícia Federal essa é a região com o menor número de armas legais vendidas e registradas. Não deixo de fora também o grande número de armas apreendidas pelas forças policias, muitas vezes de sitiantes e pequenos comerciantes que sem outra opção as possuíam de forma ilegal para sua proteção. O desarmamento foi um sucesso ao desarmar o cidadão, mas como vemos pelos números de guerra civil, não passou nem perto de impedir que criminosos continuassem se armando. O desarmamento foi um fracasso e ponto final.

Outro paradigma quebrado é a velha questão apresentada por muitos sociólogos de que o desenvolvimento econômico e a melhor distribuição de renda são fatores primordiais para redução da criminalidade. Oras, se isso fosse verdade, com a expansão de polos econômicos, melhor distribuição de renda e do crescimento do poder aquisitivo nos últimos anos, a região nordestina, mais uma vez destaque também nesse quesito, teria uma obrigatória redução em suas taxas criminais. Não aconteceu. Muito pelo contrário!

Derrotada a tese de esquerda que o crime é fruto da desigualdade social, uma tese preconceituosa que acusa os mais pobres de serem os responsáveis pelo cometimento de crimes.

Como bem define o psiquiatra e escritor britânico Theodore Dalrymple, a raiz da criminalidade não está na pobreza material e sim na miséria moral, na certeza da impunidade e no discurso de que o bandido, aquele que puxa o gatilho ou empurra a faca não é responsável única e exclusivamente pelos seus atos.

Que dentro dessa catástrofe nordestina, imbuídos com uma coisa chamada honestidade intelectual, nossos governantes possam aprender com essa triste lição e mudar de uma vez por todas o foco da nossa (in) segurança pública.




*Bene Barbosa é especialista em Segurança Pública, presidente do Movimento Viva Brasil e coautor do livro “Mentiram Para Mim Sobre o Desarmamento”. 

ECLÉTICO MÚSICO LUCIVALDO OLIVEIRA FERREIRA LANÇANDO LIVRO DE POESIAS



O multiartista Lucivaldo Oliveira Ferreira nasceu em Salvador/BA , aos dez anos mudou-se junto com a família para a cidade de Triunfo, no sertão pernambucano. Aos treze anos iniciou seus estudos de música com o saudoso Maestro José Madureira, na centenária Banda Isaias Lima, onde veio ocupar mais tarde a função de diretor musical. Concluiu o Magistério em 1994 e em 1997 fundou o Grupo  Ambrosino Martins e participou neste mesmo ano da criação do Grupo de Artes de Triunfo (GAT). em maio de 2003 tornou-se regente desta que é uma das Filarmônicas mais antigas do país.

Dedicou oito anos de sua vida ensinando teatro, música e artes plásticas a crianças e adolescentes da entidade filantrópica Lar Santa Elisabeth em Triunfo/PE. Em 2012 tornou-se acadêmico da ATLA - Academia Triunfense de Letras e Artes. Ainda em 2012 Lucivaldo deixa a Banda Isaias Lima dedicando-se desde então ao ensino de música e à poesia.

Hoje aos 40 anos, Lucivaldo Fereira lança uma proposta de leitura chamada Instantâneos, o ‘sentir sem pensar’, o livro  foi lançado em 23 de abril deste ano na cidade de Triunfo e no ultimo dia 18, início do segundo semestre, lançado na Unidade Acadêmica de Serra Talhada por uma iniciativa do Diretório Acadêmico de Letras. Durante a ocasião, o mesmo, falou sobre os processos de escrita literária e a pressa com que a pessoas consomem os conteúdos no meio digital, onde a poesia tem alcançado um novo espaço. Escrever tem sido mesmo lutar com as palavras e com o tempo. Nas palavras do professor Nefatalin Gonçalves Neto, Lucivaldo é “dono de uma dicção peculiar e altamente sonora, convoca, em seus poemas, os leitores de poesia à celebração da palavra.” Nesse mundo de tecnologia onde as relações são marcadas pela liquidez, tem se tornado desafiador demonstrar sentimentos e alcançar as pessoas através de textos literários.  

Em entrevista, Lucivaldo fala sobre o título que dá nome ao livro. “Instantâneo é o resultado do que eu senti em um determinado momento. Instantâneo é tudo que você sente. Instantâneo é sentir sem pensar, é sentir sem medir. É sentir sem medo, é como e posso  dizer, instantâneo é gozar, é isso. É instantâneo. Você pode segurar o quanto for, mas na hora que for…é, e é único e pode ser único várias vezes e cada vez é diferente”, afirmu o poeta.

Por: Triunfo Hoje

ACERVO DO MUSEU AGUARDA MELHOR TRATAMENTO - POR CARLOS FERRAZ



Depois de rápida passagem recente pelo Complexo de Museus ( antiga Escola Barbosa Lima) situado na Praça Monsenhor Eliseu Leal Diniz, Centro - fundado em 11.06.1975., como Museu do Cangaço , sem fins lucrativos e de finalidade estritamente cultural - acompanhando significativo número de visitantes que estiveram frequentando a belíssima Cidade de Triunfo, denominada "Oásis do Sertão", por ocasião de eventos como: "Temporada Junina" (onde animação outra vez não aconteceu de propósito e sob as desculpas esfarrapadas de sempre: decepcionando os presentes); ilusório evento da "Festa dos Estudantes" ( cada vez mais esvaziado e reduzido, responsabilizando: "a crise") e desprestigiado "Circuito Estadual de Corrida Na Pista" ( onde se quer marcaram presença: representações públicas).Fatos lamentáveis, mas já assimilados pela momentânea  sociedade omissa que se tem para avalizar erradas situações.  

Valendo ainda  salientar, haverem sido realizados anteriores contatos naquele mal-utilizado espaço histórico valoroso, porém desorganizado por demais (onde evitando ser perdida a oportunidade conquistada no Governo Arraes, também funcionou o Pelotão da Polícia Militar de Pernambuco - , antes de instalada no Bairro da Liberdade, a 2ª Companhia da PMPE, no Bairro da Liberdade, subordinada do 14º Batalhão de Serra Talhada,). Esteve-se inclusive na presença de personalidades recifenses e logo após o ilustre ex-deputado Clodoaldo Torres, ex-Presidente da Assembléia Legislativa e ex- secretário de Minas e Energia, antigo conhecedor do museu, com  inegáveis  e relevantes serviços prestados ao Município de Triunfo (  antes o ex-parlamentar imaginava fazer a doação de um armamento mas diante ao visível caos desistiu), seguido dos jovens netos, que estavam a conhecer pela primeira vez, a cidade e suas reconhecidas potencialidades turísticas. 

Ficando depois dessas passagens ocasionais, bastante evidente que a estrutura  iniciada por: Irmã Nicodemas  Schulse, Marluce Beserra de Melo, Antonio Ângelo da Silva, Lígia Campos de Melo, Helenita Timóteo de Lima, Manoel de Castilho Campos, entre outros, encontra-se na atualidade com várias peças antigas que compõem o acervo do mesmo - nas salas temáticas relacionadas ao Cangaço, Sacro, Engenho e Cidade - apresentando relativo desprezo, irregulares acomodações e demostrando diversas avarias. Segue o alerta para que sejam urgentemente relocadas e restauradas possibilitando o salvamento. Assunto que vem sendo debatido com relativa frequência pelos informativos, sem receber qualquer sinalização positiva dos fragilizados poderes Executivo e Legislativos, simplesmente calando e consentindo absurdos diante tamanha dilapidação do patrimônio local,  onde várias obras doadas têm sido furtaram.

 
Lamenta-se profundamente a grande ausência de responsabilidade e também a devida manutenção daquele tradicional ponto de considerável visitação  turística importante, que nunca significou qualquer prioridade das pseudo administrações públicas municipais  e nem tão pouco dos gestores daquele setor durante o período de funcionamento. Não existe a menor preocupação na melhoria e sua recuperação - como se todos os frequentadores fossem obrigados a aceitar tudo como está naturalmente, sem questionar ou tecer críticas contundentes por conta do descaso generalizado de uns tempo para cá. No entanto, acredita-se ,que o trabalho somente poderá ser realizado através de especializados profissionais detentores de confirmadas referências.Essa previstas intervenções poderão, sem  qualquer sombra de dúvidas, beneficiar todos os setores do ambiente e assim evitar muitos problemas futuros e desgastes mais intensos nos objetos, alguns de inegáveis valores estimativos. 

Faz-se preciso reafirmar na firmeza e sem qualquer constrangimento que, várias dessas notáveis peças são capazes de facilitar aos poucos a remontagem de parte da história mediana do território sertanejo triunfense. Depende somente dezenas delas de inevitável limpeza,  eficiente e constante: exposição nos adequados setores e recomposição das partes douradas, desaparecidas com o passar do tempo. Afinal de contas, é bom recordar que existem unidades advindas do final do século 19 e princípio do século 20 que sofreram natural desgaste. Quanto às gravuras, muitas daquelas estão merecendo ajustes cuidadosos, pela longa existência. Deve uma equipe de reconhecida sensibilidade e visão abrangente, providenciar a elaboração de minuciosos projetos e procurar dar entrada no Prodetur , com vista a providencial recuperação e requalificação das peças do Museu.
após um processo de requalificação através do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur NE - See more at: http://www.abeoc.org.br/2012/11/setur-pe-entrega-a-requalificacao-do-museu-da-cidade-do-recife/#sthash.sq7E0I1V.dpuf
após um processo de requalificação através do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur NE - See more at: http://www.abeoc.org.br/2012/11/setur-pe-entrega-a-requalificacao-do-museu-da-cidade-do-recife/#sthash.sq7E0I1V.dpuf













Adicionar legenda










Por: Carlos Ferraz
         Editor/ Triunfo - PE

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

ESSE LUGAR BOM É DEMAIS... POR CARLOS FERRAZ





,
Tem-se recebido constantes elogios referentes às variadas publicações deste independente órgão de imprensa Blog Opinião Triunfo, quando aparecem nos textos satisfatórias ilustrações contendo imagens panorâmicas belíssimas encravadas no vasto cenário do território triunfense. Esses assíduos leitores terminam afirmando ser de cortar o fôlego de qualquer um, tanta beleza estampada no lugar dentro vários sentidos programáticos escolhidos e repassados com precisão e sensibilidade por eficientes pessoas que compõem o setor de ilustração - fazendo tornarem-se colaboradores.

O primeiro, mais importante e óbvio ponto é sem dúvida a reconhecida beleza natural do lugar considerado "Oásis do Sertão", com esplêndidas opções relativas a cacimbas, riachos, lagos, açudes, barragens, lagoas, cachoeiras, represas, furnas.Complementando o visual ao fundo,  representado por montes, picos, elevados, planícies, ladeiras, sempre demonstrando abundantes coberturas verdes, mesmo no período de longa estiagem como na atualidade , quando já dura seis anos, uma das maiores e mais castigantes secas comprovadas da história, geradora de intensos prejuízos.

O segundo exemplo, trata-se da existência de uma arquitetura neoclássica maravilhosa, demonstrando  qualificado senso criativo dos habitantes de épocas passadas quando atuavam na realização das antigas e valorizadas construções.Chega a ser um aspecto constatado  por onde se anda, seja nos casarões, prédios, sobrados e templos. A terceira é situação a mais de 1.260 metros de altitude, onde o  ar é tão rarefeito que, literalmente, se perde mesmo o fôlego. Mas, não será por isso que o eventual visitante deixará de desfrutar dessa visão que vem encantando muita gente ao longo dos anos.

Todo esse grande potencial existente, decantado às vezes em versos e prosas, é capaz inclusive,  de haver deixado bastante apaixonados de cara outros eventuais frequentadores de nacionalidades diferentes, tipo: americanos, ingleses, alemães, portugueses, suíços, franceses, italianos, que terminaram  ficando estabelecidos, convivendo e constituindo famílias por bom tempo e chegando a influenciar na mediana história, contribuindo nas vestimentas, educação, costumes, idiomas e empreendimentos que foram espalhados de maneira positiva na Região do Pajeú e outras  regiões circunvizinhas.



Por: Carlos Ferraz
        Editor/ Triunfo - PE

MULTAS PARA QUEM DERRUBAR ÁRVORES - POR CARLOS FERRAZ





Quase toda a população urbana triunfense da sede Triunfo e distritos Vila Canaã e Vila Jericó,  deve ter vasto conhecimento que as árvores  há muitos anos são consideradas por força de Lei,  patrimônio natural público de qualquer município, seja o mesmo, de grande, médio ou pequeno porte. É justamente por essa razão, que para podá-las ou cortá-las é necessária antecipada autorização do competente órgão.Quem por acaso, desobedecer deve ser exemplarmente multado, segundo determina a legislação em vigor, sendo considerado um crime ambiental de notada gravidade.

Defende-se que seja criada uma espécie de 'Brigada Ambiental de Triunfo' , o grupamento independente "BAT", composto por ambientalistas locais e pessoas conscientes de verdade para atuarem impedindo a derrubada de árvores na beira das calçadas, todas da espécie "ficus".A desobediência poderá gerar multa que chegam a R$ 5 mil. Também sendo preciso reparar o dano com replantio triplo de mudas.Dando uma volta superficial nas artérias triunfenses da sede e distritos, é possível identificar requiscios de madeira e galhos espalhados pelo chão de alguns pontos centrais e periféricos.

Segundo moradores que evitam se identificar , denunciam, não haver qualquer justificativa técnica profissional para o corte de várias destacadas árvores.São às vezes unidades que apresentam raiz e caule perfeitos suportando as ventanias que têm aparecido derrubadas, sem qualquer explicação lógica e sem nunca reporem outras no lugar prejudicado na ação indevida Esses serviços geralmente são realizados por funcionários terceirizados leigos e sem o devido acompanhamento especializado vinculado à administração da Prefeitura Municipal. Espera-se que providências sejam tomadas....




Por: Carlos Ferraz
         Editor/ Triunfo - PE

MEIO AMBIENTE CLAMA PELA INSTALAÇÃO DO ATERRO SANITÁRIO - POR CARLOS FERRAZ



Os informativos locais vem ao longo dos anos reiterando e cobrando das gestões municipais a construção do Aterro Sanitário e o adequado destino do lixo, como ações efetivas para prevenir e corrigir a contaminação e poluição do meio ambiente  no município de Triunfo. Em janeiro de 2010 apresentamos 80 sugestões ao plano de governo daquela nova administração municipal, entre elas estava, a cobrança: 

"26- Cadê... a criação do comentado Aterro Sanitário para ser despejado o lixo?'




E assim continuamos durante os últimos anos, porque se faz necessário e urgente reduzir ao máximo a quantidade de lixo encaminhada diariamente ao suposto aterro sanitário desta cidade do Sertão. Esse deveria ser um dos principais objetivos da Prefeitura Municipal de Triunfo  podendo ser elaborado para adequar o município à Política Nacional de Resíduos Sólidos, com ações implantadas logo no início da gestão, utilizando mecanismos que possam reduzir a quantidade de restos que seguem para o lixão  situado no Sítio Bazé ponto saturado e inadequado para depositar entulhos diversificados devido a proximidade da área urbana e da correnteza da água que escoa nos riachos da redondeza, podendo ameaçar a saúde dos habitantes próximos e contaminar os mananciais hídricos. 

Um dos objetivos do plano seria implantar uma unidade de tratamento de resíduos e estimular programas de coleta seletiva e reciclagem, em parceria com os poucos catadores existentes no município e, organizando-os em grupos distintos selecionados em associações de moradores, organizações não governamentais e escolas públicas e privadas. Para isso,  acontecer com a desejada precisão, nada melhor que implantar nos pontos  básicos definidos a entrega voluntária desses recicláveis objetos. Mas antes desenvolvendo uma campanha publicitária na imprensa local: rádios, jornais difusoras, blogs, carros de som, divulga. 

Para que a realização desse necessário projeto natural seja tornado realidade, bastaria a planejada construção orientada de uma unidade de beneficiamento dos resíduos de construção civil, com política de utilização do material, e de uma unidade de compostagem para resíduos orgânicos e proveniente de podas. Por meio da implantação dessas tecnologias, criando alternativas para o melhor aproveitamento dos materiais recicláveis, o aterro sanitário deve receber cada vez menos entulhos . Triunfo com cerca de 17 mil habitantes , entre moradores fixo e população flutuante, composta por visitantes e turistas, segundo informações de  empresas que fizeram e ou fazem  a coleta se  produz mais cinco  (5) toneladas de resíduo de todas as espécies por semana.


Política Nacional de Resíduos Sólidos


A Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é bastante atual e contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao País no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.
Prevê a prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado).
Institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: dos fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, o cidadão e titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos na Logística Reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo e pós-consumo.
Cria metas importantes que irão contribuir para a eliminação dos lixões e institui instrumentos de planejamento nos níveis nacional, estadual, microregional, intermunicipal e metropolitano e municipal; além de impor que os particulares elaborem seus Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.
Também coloca o Brasil em patamar de igualdade aos principais países desenvolvidos no que concerne ao marco legal e inova com a inclusão de catadoras e catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, tanto na Logística Reversa quando na Coleta Seletiva.
Além disso, os instrumentos da PNRS ajudarão o Brasil a atingir uma das metas do Plano Nacional sobre Mudança do Clima, que é de alcançar o índice de reciclagem de resíduos de 20% em 2015.

Por: Carlos Ferraz
        Editor/ Triunfo - PE

AÇÕES IMPORTANTES NA PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: RECICLAGEM DO LIXO - POR CARLOS FERRAZ





Esperava-se que a partir deste ano de 2016, o cidadão residente ou visitante da bela "Oásis do Sertão", considerada "Estância Climática" e "Estação Balneária", depois de incansáveis apelos e sugestões apresentadas de público, pudesse finalmente lucrar com a utilização do modelo diferenciado de reciclar o próprio lixo caseiro ou profissional, seguindo exemplos positivos de outros municípios conscientizados para tanto. Na atualidade a forma costumeira é dispensar objetos sobrados do consumo diário, a exemplo de garrafas pet, latinhas de refrigerantes, plásticos e outros resíduos sólidos recicláveis, visando contribuir na destinação correta e gerar renda para catadores e usuários, depois de instruídos por competente órgão junto à Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente.





Para que o antigo projeto sonhado, defendido e repassado nos informativos locais de forma sistemática, quando a Prefeitura Municipal resolver procurar o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), para adquirir dados orientadores de pós-consumo que necessita-se para implantar de acordo com a estabelecida Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010). A lei diz que o lixo produzido deve retornar para o produtor. Hoje, os empreendedores que enviam resíduos para reciclagem não sabem a quantidade deles nem para onde vão. O correto é caso os restos ou chorumes forem parar nos vários riachos existentes no território triunfense, os autores sejam responsabilizados.Que os pontos considerados poluentes sejam identificados e cadastrados.Triunfo tem jeito, sim...



Por: Carlos Ferraz
        Editor/ Triunfo - PE

NOSSOS LEITORES PELO MUNDO!