sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

ERA DA ÉTICA SEM ÉTICA E DO CINISMO DESABRIDO... POR LUIZ SAUL




Em terras de perdão e de vistas grossas até que seriam perdoáveis alguns comportamentos de membros da chamada Comissão de Ética da Câmara dos Deputados. Poderiam, por exemplo, marcar duelo de bala nos fins de tarde, ou de espadas no início das manhãs; poderiam participar de torneio de xingamento em um botequim, desandando acusações do tipo “Você é moleque e ladrão”, “ladrão e moleque é você e a mãe”; poderiam alugar um ringue para as trocas de trompaços nos intervalos, devidamente paramentados, com plateia e tudo o mais. Poderiam até fazer como a Ministra Katia Abreu, da Agricultura, que teria jogado uma taça de vinho na cara do senador José Serra, em jantar de “confraternização”.


Tudo isso seria perdoável se, depois das resoluções duelares, retornassem aos momentos nobres de plenário, abandonando a sordidez e praticando a pureza da ética a que se propõe regimentalmente a Comissão. Mas, em vez disso, grande parte dos seus membros melhor se assemelha à turma da pipoca de um trio elétrico que dança na poeira e na zoeira dos bumbos e atabaques batidos por lideranças delinquentes protegidas pelo palco confortável nos camarotes sobre os carros alegóricos.

Fossem todos sérios e comprometidos com a missão, abstrairiam as manobras que de fato existem ora de um lado, ora de outro, no sentido de postergar um mandato já findado na prática, ou de fazer caminhar juntos os processos do impeachment e da cassação. É isso que está no cerne da questão, ainda que sejam processos que não comunicantes entre si. É de se repetir aqui que uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa. 

Mas, nesta geração perdida de políticos brasileiros, as filas dos acompanhamentos abandonaram de vez os interesses da nação na busca de uma distante retomada de normalidade para se esconderem na espuriedade de projetos de salvação de personagens que não deveriam ser salvos, e que, na verdade, sequer deveriam estar nos patamares alcançados.

Embora uma voz fingida ou outra igual use os microfones e os holofotes para alertar que a sociedade está assistindo a encenação das trapalhadas parlamentares daquele ringue também chamado de plenário, parece que os deputados dali, depois de haverem conquistado os votos dos incautos eleitores, desconsideram a possibilidade da censura da distinta plateia, uma vez que a memória é curta e as eleições estão longe.

Por isso, entregam-se àquele drama bufão de uma opereta sem caráter em cujo final não há de haver aplauso senão dos comensais do mesmo banquete e da claque remunerada. 
Faz-se notar que a ausência da ética e a prática do cinismo não ocorre somente ali, e se constitui nas práxis de todo o ambiente. Basta ver que, depois da discussão da relação entre o sofrente Temer e da impostora dilma, ambos juraram uma relação “fértil” dele, e “profícua” dela, como a sugerir um tipo de paz, mas que, no momento, seguinte a mandi-Oka demitiu sem carta ou bilhete um representante do dele, então alojado na Caixa Econômica. Ele, por sua vez, correu para um regabofe natalino com senadores, e começou a montar a sua futura equipe ministerial.

E, falando em cinismo, o Lula (sempre ele!) estava na Espanha sem ter o fazer e resolveu vaticinar em entrevista à TV de lá que o povo brasileiro deve abdicar de comer carne para atravessar a crise, que, segundo ele, é momentânea.

Refreando o desejo de classificá-lo como canalha, fico indagando aos meus botões se o Barba tem ou não um momento de reflexão para avaliar o dano que ele e ela causaram e continuam impondo ao Brasil. Ou, quem sabe, estava novamente bêbado.
Por tantas como estas é compreensível que vivamos a era da ética sem ética e do cinismo desabrido.



Por: Luiz Saul Pereira
        Brasíli/ DF

9 comentários:

  1. Esse Lula é um canalha sem igual. Como foi triste descobrir isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais manobras e, de novo Cunha escapa.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  2. NAÉRCIO SIQUEIRA CAMPOS11 de dezembro de 2015 20:27

    ESTAMOS VIVENDO NUM PAÍS AMEAÇADO POR UM MOSQUITO E UMA QUADRILHA QUE PODEM TRAZER A MORTE.

    ResponderExcluir
  3. E haja corrupção. E haja inflação.A bronca agora é a Hemobrás, a PF investiga fraude em licitações e desvio de dinheiro na Hemobrás. O presidente da estatal Rômulo Maciel, o diretor Mozart Sales eo gerente Jorge Cavalcanti, tudo gente do senador Humberto Costa, corrupto e fala-fina do PT estão afastados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inflação em 10, 48% sufoca a população brasileira. Cadê aqueles que defendiam e faziam campanha pra Lula e Dilma? Será que também não se acham atingidos com esse desastre administrativo do Partido dos Trabalhadores, maior simbolo de corrupção deste País?

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  4. José Eduardo Queiroz11 de dezembro de 2015 21:17

    E o dinheiro roubado da Hemobrás que foi arremessado pela janela com receio da investida da Polícia Federal? Esse PT toda semana tem uma novidade de roubalheira. É golpe!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. QUE ESSA QUADRILHA SEJA DESARTICULADA URGENTEMENTE.

    ResponderExcluir

Caro leitor, seja educado em seu comentário. O Blog Opinião reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório e ofensivo, como também os que contenham palavras de baixo calão. Solicitamos a gentileza de colocarem o nome e sobrenome mesmo quando escolherem a opção anônimo. Pedimos respeito pela opinião alheia, mesmo que não concordemos com tudo que se diz.
Agradecemos a sua participação!

NOSSOS LEITORES PELO MUNDO!