quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

POR QUE LER CONTOS DE FADA PARA OS NOSSOS FILHOS - POR EDNALDO BEZERRA

Os contos de fadas se relacionam com o desenvolvimento psicológico da criança, pois o ser humano possui alojados em seu inconsciente muitos medos, instintos violentos, maldades e por aí vai, e as histórias contadas nesses contos abordam de maneira objetiva e numa linguagem própria para o mundo infantil justamente esses temas.
A criança possui todos esses sentimentos (e, sobretudo, medos) em seu inconsciente. Daí os contos de fadas servirem para que elas – ao observarem os personagens em situações de dificuldades, de tristezas, de temores, de humilhações, de perigos, enfim, nos mais diversos acontecimentos da vida –, usando da imaginação, possam resolver seus próprios problemas existenciais. Geralmente, as crianças se inserem nas histórias se espelhando nos heróis, e veem que eles conseguiram sobreviver em face das dificuldades que encontraram. Assim, elas também se sentem igualmente capazes de superar seus medos e aquilo que as perturba.
Além disso, considerando que os personagens dos contos de fadas não são ambivalentes (ou seja, no decorrer de toda a história o personagem bom é sempre bom e o malvado é sempre mau), elas conseguem diferenciar o bem do mal. E como se identificam inconscientemente com o herói (o bom) e veem que, no final, o bem sempre vence o mal, tendem admirar o que é correto e a se comportar de maneira adequada na vida real.
Outro aspecto que se deve considerar é que os contos de fadas normalmente possuem nas entrelinhas uma lição de moral que as crianças conseguem captar muito bem. Por exemplo, em “Chapeuzinho Vermelho”, na versão de Charles Perrault, no início da história, a menina encontra o lobo na floresta e começa a conversar com ele. Ela diz que vai à casa da vovó. Esperto, ele consegue chegar lá antes. E a história termina com Chapeuzinho sendo devorada pelo Lobo. A criança usa a lógica e inconscientemente (ou conscientemente) chega à conclusão de que não se deve conversar com estranhos.
Pois bem, é bastante salutar, nos dias de hoje, os pais lerem contos de fadas para os filhos. Muitas vezes a criança pede para recontarem inúmeras vezes o mesmo conto. Isso é normal, e, talvez, aconteça porque a criança ainda esteja vivendo a história – resolvendo os seus medos, seus problemas existenciais.
Por fim, cabe ressaltar que há versões atuais que retiram, por assim dizer, os sofrimentos – a morte, a solidão, a humilhação, etc. – da vida dos personagens. Isso é um erro, pois os contos desse jeito (modificados) não cumprirão a sua função no desenvolvimento psicológico da criança. Portanto, o ideal é a leitura das versões clássicas originais (uma boa alternativa é edição de bolso da editora Zahar). Quem desejar se aprofundar no tema em questão, sugiro a leitura do livro “A psicanálise dos contos de fadas”, de Bruno Battelheim. 

Ednaldo Bezerra é escritor

3 comentários:

  1. Excelente explanação sobre o homem e seus medos, esta abordagem dos contos de fadas são bem redundante com abordagem de forma objetiva.

    ResponderExcluir
  2. Maria Carmo Lacerda25 de dezembro de 2015 21:27

    Muito lindo!

    ResponderExcluir
  3. Antonio Firmino Neto25 de dezembro de 2015 22:11

    Maravilhoso!Parabéns ao autor pela categórica repassada que foi oferecida aos leitores desse conceituado blog.

    ResponderExcluir

Caro leitor, seja educado em seu comentário. O Blog Opinião reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório e ofensivo, como também os que contenham palavras de baixo calão. Solicitamos a gentileza de colocarem o nome e sobrenome mesmo quando escolherem a opção anônimo. Pedimos respeito pela opinião alheia, mesmo que não concordemos com tudo que se diz.
Agradecemos a sua participação!

NOSSOS LEITORES PELO MUNDO!