segunda-feira, 31 de julho de 2017

ESPAÇO DETERMINADO PARA A "FEIRA LITERÁRIA" DE TRIUNFO - POR CARLOS FERRAZ





Quando estiver inaugurada a nova Biblioteca Pública Municipal em  prédio definitivo,  como anuncia  a atual gestão administrativa,, para as proximidades do Bosque Manoel Gastão ou Professora Iaiá Medeiros ( denominações que devem ser definidas após a decisão de cunho familiar), vários escritores de facetas consideradas múltiplas poderão ser celebrados em providenciais exposições culturais de literatura, onde escritores da cidade, região e demais interessados   poderão compor semestrais ou  anuais encontros de redatores

Talvez podendo chamar-se '"Feira Literária de Triunfo", no espaço que ficará disponibilizado a palestras, debates,  apresentações teatrais e shows homenageando a literatura, sendo expandido o convite a poetas, escritores, dramaturgo, pintores, artistas plásticos, músicos, em atividades gratuitas, coordenadas pela eficiente secretária de Educação,professora Stella Silva Santos. 

Esse festival deve ser implantado pela representação legitimada da área, no intuito de fomentar a  restruturação,  expansão e divulgação  da Cultura, que atualmente somente existe "da boca para fora"; a realidade expõe maioria dos segmentos sociais por demais atrasados,sem os avanços sociais que parecem existir, diante a pose de várias personagens que  se apresentam formadores literários.

No evento que deve contar com um curador  representativo, o evento que será celebrado no Oásis do Sertão", pela primeira vez no segundo semestre ou ano que vem, para que seja possível dedicação mais aprimorada e com intensa participação e dedicação dos interessados em participar e credenciar mais a famosa tradição  de destaque educacional da Região e do Interior de Pernambuco.

Nomes como: Adriano Pádua, Liége de Melo, Vanessa Campos, Hiram Castilho,  Fernando Ferreira, Diana Rodrigues, Antonio Timóteo, Maria Helena Pádua, Iêdo Ferraz,  Joana Darc Bezerra, Lúcia Alves Lima, Renato Ferraz, Larissa Melo, Francisco Vasconcelos, Socorro Almeida, Lucivânia Amorim,  Carlos Ferraz, Maria José Magalhães, dentre outros, deverão certamente fazer parte da seleta equipe participante dessa exposição em data previamente acordada do ano, atraindo também escritores e leitores dos municípios circunvizinhos a participarem



Adriano Pádua

Liége de Melo

 Diana Rodrigues

Hiram Castilho

 Antonio Timóteo,

 Renato Ferraz


 Socorro Almeida

 Lucivânia Amorim





Por: Carlos Ferraz
        TRIUNFO - PE

22 comentários:

  1. SÓ FALTOU O GRANDE ESCRITOR IÊDO FERRAZ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Lourdes Diniz20 de julho de 2017 19:18

      Me alegra muito ver Triunfo em progresso Carlos. Que seja um progresso cultural e econômica. Um forte abraço

      Excluir
  2. Excelente trabalho que faz o nosso conterrâneo favorável por demais a essa terra e não vejo receber o merecido reconhecimento dos próprios conterrâneos. Enquanto outros...

    ResponderExcluir
  3. Cada ideia que merece ser aplaudida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo Rodrigues20 de julho de 2017 00:26

      Muito legal!

      Excluir
    2. José Reginaldo da Silva20 de julho de 2017 19:20

      Um trabalho magnífico está sendo realizado pela equipe deste jornal midiático. Será que as autoridades e o pessoal da cidade não observa ou reconhece isso....

      Excluir
  4. MÁRCIO BEZERRA DE LIMA18 de julho de 2017 23:38

    AO LER ESTE BLOG TENHO UM SENTIMENTO DE ENORME ADMIRAÇÃO PELO INVESTIMENTO QUE SE COBRA PARA A EDUCAÇÃO DESSE MUNICÍPIO. PARABÉNS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de saber da Secretaria de Educação do Município se há previsão desse feito.

      Excluir
  5. Fico impressionada com tamanha fartura de ideias que tem o Ferraz para publicar neste jornal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Importante ressaltar ainda que o órgão municipal mantém monitoramento constante dessas propostas sempre atenta a sugestões que porventura apresentem demandas.

      Excluir
  6. Gostaria de saber qual é o órgão responsável pela manutenção da biblioteca pública pois quem atende é gente da varrição de rua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  7. Cláudia Melo e Silva18 de julho de 2017 23:48

    Os professores são explorados ao extremo. Pagam altos impostos embutidos nos preços das mercadorias, têm o IR retido na sua fonte e ainda veem renegados os reajustes salariais a que têm direito.

    ResponderExcluir
  8. Cláudia Melo e Silva18 de julho de 2017 23:50

    Enquanto os políticos pensarem assim, não vamos a lugar nenhum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo Fernando Nunes20 de julho de 2017 00:19

      Essa aparente boa vontade governamental vai fazer o dinheiro circular no comércio e voltar para as mãos dele em forma de impostos. E para onde vai o dinheiro arrecadado com os impostos?

      Excluir
  9. Parabéns pela revitalização e preservação daquele espaço ambiental onde pode funcionar o bosque próximo a essa biblioteca.

    ResponderExcluir
  10. parabéns ao prefeito se fizer mesmo desse lugar um espaço cultural

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acredito que venha acontecer, porque o problema é que ninguém sabe qual a causa porque o setor operacional não existe.

      Excluir
  11. Acredito haver reconhecimento de todos que sabem do sofrimento no tocante a falta de uma biblioteca digna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  12. Ideia brilhante! As coisas acontecem sempre na hora certa. É que Triunfo está a cada dia mais leve e solta. Não tem mesmo como não acolher a explosão de valores de cultura e arte que nossa cidade exorta.Parabéns!

    ResponderExcluir
  13. Os Bilros de Dona Maçunila

    Á Dona Marcionila, minha vizinha da Infância


    Era como um belo quadro
    Pintado por um exímio artista
    Ou como da capela o belo adro,
    De perfil na janela a artista.

    Em frente a almofada de renda
    Dona Maçunila tecia sua obra,
    A única rendeira do lugar, uma prenda
    Que movia os bilros á delicadas manobras.

    Alfinetes mudam de lugar ligeiro
    Enquanto os bilros formam a teia
    Tecendo, outros ficam prisioneiros.
    E as mãozinhas mostram arte nas veias.

    Trocando de mãos febris e saltitantes
    São como gorjeios na manha ensolarada.
    Mas é uma batalha de bilros e alfinetes,
    Dona Maçunila e a arte de fazer renda.

    E os meninos a passarem pela janela;
    - Bença Dona Maçunila! - Deus te abençoe!!
    Estranho que o trepidar dos bilros naquela janela,
    Ainda hoje em meus ouvidos zoe?

    Fernando Alencar
    14/02/2016-00:55h.

    Ela morava na Rua do Quartel, quase em frente a casa de Seu Boinha...

    ResponderExcluir

Caro leitor, seja educado em seu comentário. O Blog Opinião reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório e ofensivo, como também os que contenham palavras de baixo calão. Solicitamos a gentileza de colocarem o nome e sobrenome mesmo quando escolherem a opção anônimo. Pedimos respeito pela opinião alheia, mesmo que não concordemos com tudo que se diz.
Agradecemos a sua participação!

NOSSOS LEITORES PELO MUNDO!