domingo, 31 de janeiro de 2016

RETORNO DA FESTA DA PADROEIRA AO LUGAR DE ORIGEM - POR CARLOS FERRAZ





Depois de passadas as festividades natalinas e de final de ano, conforme as previsões anteriores publicadas não muito animadoras,que terminou-se resultando nas restritas comemorações durante 28, 29, 30 e 31 de dezembro e implicando gasto desnecessário para a comunidade triunfense,  devido oneração dos cofres públicos que provoca depois carência às necessidades básicas dependentes do montante empregado que pertence a todos os munícipes. A exemplo do show da cantora goiana Marília Mendonça, que recebeu cerca de 8 mil pessoas (conforme levantamento isento) deixando a cidade totalmente invadida por estranhos deseducados e nunca turistas, que tumultuaram o limitado espaço reservado, engarrafando o trânsito, prejudicando a mobilidade, sujando vias, atraindo malfeitores e quase nada deixando de retorno ao tradicional evento, porque a maioria dos presentes trouxe bebidas  e comidas. Por tudo isso e muito mais, volta-se a insistir na discussão e encaminhamento  da Festa da Padroeira em 2016, ao local de origem, ou seja, enfrente à Igreja Matriz, Praça 15 de Novembro.

Os resultados de algumas pesquisas superficiais de opinião pública realizadas pelo Blog Opinião e seus componentes com bastante paciência, dentro dos critérios básicos de isenção e responsabilidade, antes e agora novamente, após inúmeras irregularidades apontadas na última versão festiva, repassam sem dúvida, que caso desejem uma gestão nova precisam fazê-la diferente, sabendo para isso não se poder contar apenas com sugestões dos "convidados" aliados, sempre habituados a aprovarem quaisquer projetos apresentados nas reuniões de cúpula sem pestanear, por razões óbvias, o que termina sendo bastante prejudicial ao andamento pretendido no resgate tradicionalista da bela cidade "Oásis do Sertão".

Referente à transferência da antes belíssima Festa da Padroeira Nossa Senhora das Dores nos arredores da Matriz - depois de mudança brusca sem escutar os mais diversos segmentos sociais para o equivocado Pátio de Eventos Maestro Madureira de péssima localização, capaz de interferir negativo na estética urbana - após ouvida de parte significativa da população urbana e rural triunfense, ficou evidenciado que caso o movimento "Pró - Praça 15 de Novembro, Centro", não vingue por ausência de empenho dos religiosos católicos ou organismos tipo Associação Comercial - talvez evitando posicionar-se contrários aos "poderosos"  administradores para não ficarem mal na foto ou motivações outras, será grande o prejuízo.

Infelizmente a tendência é o desaparecimento definitivo do evento que no passado glorioso abrilhantou Triunfo - ficando a depender iniciativas secundárias que acabaram tirando-lhe o grande foco desejado. Pretende-se comemorar igual acontece em municípios do mesmo porte e bem maiores, apostando na dinâmica de confraternização entre conterrâneos, familiares, parentes, aderentes,colegas, amigos, conhecidos e visitantes, comprometidos no clima da época. Diante as experiências desastrosas constatadas nas últimas festividades ocorridas ( exceto Carnaval e Festa do Estudante ) acredita-se que dificilmente haverá sequência de aglomerados satisfatórios no Pátio de Eventos, devido seguidos encontros esvaziados, inclusive nos períodos dezembro, nas noites iniciais. 

Surge público apenas quando acontece apresentações de artistas e bandas de forró estilizado, conjunto que interpretam músicas apelativas, bregas desclassificados, por valores exorbitantes, bancados pelos contribuintes e agradecido de público aos gestores. É uma raridade atração qualificada que tenha vínculo ao momento, pois fica-se refém a uma platéia desinformada que parece ditar os estilos. O custo dessas mesmices daria para financiar completo período festivo, no ponto desejado (Praça da Matriz), com atrações locais e regionais por inferior valor. Justifica-se portanto não alcançar sustentabilidade para funcionamento pleno e satisfatório, por bastante tempo. Está provado e comprovado posicionamento estratégico inviável, naquele ambiente constrangedor.. 

Valendo lembrar haver sido construído contrário à vontade da população, mas cumprindo vaidade de alguns e desejo de poucos, sem respeitar a cobrança feita na época sobre a ausência de fator importante como estacionamento, que hoje são as ruas, praças, avenidas. Agora os "responsáveis", não mais se posicionam como idealizadores dessa antipatizada obra - rejeitada por causar transtornos para residentes, e transeuntes. Esses incomodados moradores sempre quando questionados, alegam : "ninguém está disposto suportar as festas realizadas somente para atrair forasteiros das periferias vizinhas, sem nada acrescentarem de positivo". Explicaram que: " antes inciava oito horas, logo após o término da novena, agora começa por volta de meia-noite". 

Finalizam reafirmando que apesar da reconhecida beleza no atual ambiente, proporcionada pelos atrativos visuais, exemplo dos cartões-postais como: Cine Teatro Guarany, Lago João Barbosa Sitônio e Convento São Boaventura, o trecho passa a ficar  inviabilizado nas ocasiões citadas e também quando festas pouco movimentadas, provocando: barulho excessivo, engarrafamentos constantes,  visível sujeira, bagunça generalizada e completa insegurança. Fica patente que na ocasião da escolha desse local, depois das variadas alegações críticas e de alertas legítimos, todos relacionados à inviabilidade do setor questionado - capaz de trazer confusão  em detrimento do antigo ponto - demostrou na teimosiada implantação, não possuírem a menor criatividade e nem visão administrativa,  


Carlos FerrazPor: Carlos Ferraz
        Editor/ Triunfo - PE

7 comentários:

  1. Eu apoio a volta para
    A praça da matriz mt mais aconchegante!as barracas serviam de ponto de encontro.Era maravilhoso!

    ResponderExcluir
  2. A equivocada construção, um verdadeiro elefante branco que se apresenta tão imponente e que traz à população além dos vandalismos à própria construção, o grande lixo acumulado após cada festa o que é de se preocupar. Durante quase o ano inteiro, ficam fechados os boxs exatamente porque não possuem a infraestrutura desejada além de que como diz o próprio editor, as ruas ficam intransitáveis além de que fortunas se gastam com aparelhamentos e bandas sem o devido valor cultural nordestino e principalmente não sendo da região. Outro ponto desagradável, indiscutível, é a questão da tradição, das grandes festas que já aconteceram na Praça da Matriz e que juntavam-se barracas, conhecidos se encontravam, existiam os inferninhos ao redor e a festa era ainda mais animada que este equívoco que já começa com o passar da meia-noite. A cultura de uma cidade não deve ser destruída a tal ponto além de que a mobilidade urbana da cidade, já demonstrou que inexiste. Derramam-se rios de dinheiro para muito pouca coisa e o objetivo maior que é a comemoração da festa da padroeira fica para o 2º, 3º ou 4º plano.

    ResponderExcluir
  3. SOU TOTALMENTE A FAVOR DA MUDANÇA DO LOCAL. NUNCA DEVERIA TER SAÍDO DA PRAÇA DA IGREJA. FOI UMA DURA PERDA PARA TRIUNFO ACABAR COM A TRADIÇÃO DAS BARRACAS E CONFRATERNIZAÇÕES ENTRE AMIGOS.

    ResponderExcluir
  4. Maria Carmo Lacerda27 de janeiro de 2016 10:08

    É LINDA.

    ResponderExcluir
  5. Deve retornar o mais rápido possível, antes que lá embaixo termine em dois ou três dias de festa como está sendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  6. Edmilson Barbosa da Silva27 de janeiro de 2016 21:40

    Acho que a partir da atuação séria deste jornal em defesa dos Caretas, tudo passou a gerar mais resultados.

    ResponderExcluir

Caro leitor, seja educado em seu comentário. O Blog Opinião reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório e ofensivo, como também os que contenham palavras de baixo calão. Solicitamos a gentileza de colocarem o nome e sobrenome mesmo quando escolherem a opção anônimo. Pedimos respeito pela opinião alheia, mesmo que não concordemos com tudo que se diz.
Agradecemos a sua participação!

NOSSOS LEITORES PELO MUNDO!