quarta-feira, 1 de junho de 2016

CHEGOU O MÊS DE JUNHO E COM ELE AS FESTAS JUNINAS

Quando o Nordeste se torna colorido e o Sertão com o céu todo iluminado com as fogueiras do Santo Antônio, São João e São Pedro...




Junho chegou e trouxe com ele uma festividade muito tradicional denominada Festa Junina. O mês é caracterizado por danças, comidas típicas, bandeirinhas, além das peculiaridades de cada região. A festa se inicia no dia 12 de Junho, véspera do dia de Santo Antônio e encerra no dia 29, dia de São Pedro. O ponto mais elevado da festa ocorre nos dias 23 e 24, o dia de São João. Durante os festejos acontecem quadrilhas, forrós, leilões, bingos e casamentos caipiras.


HISTÓRIA



 
A tradição de comemorar o dia de São João veio de Portugal, onde as festas são conhecidas pelo nome de Santos Populares e correspondem a diversos feriados municipais: Santo Antônio, em Lisboa; São Pedro, no Seixal; São João, no Porto, em Braga e em Almada.
O nome “junina” é devido à sua procedência de países europeus cristianizados. Os portugueses foram os responsáveis por trazê-la ao Brasil, e logo foi inserida aos costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.

A festa de São João brasileira é típica da Região Nordeste. Em Campina Grande, na Paraíba, a festa junina atrai milhares de pessoas. A canjica e a pamonha são comidas tradicionais da festa na região, devido à época ser propícia para a colheita do milho. O lugar onde ocorrem os festejos juninos é chamado de arraial, onde há barracas ou um galpão adaptado para a festa.


 
Como organizar um arraial bom, bonito e barato
 
O clima de festa toda conta da população durante o mês de junho que é característico por comidas típicas da época. Porém, para organizar um arraial bom, bonito e barato é preciso seguir alguns segredos. Se a festa for na rua ou na praça, é importante lembrar que deve-se pedir autorização à prefeitura.

A principal dica para não fazer feio é manter a tradição. Os participantes tem que vestir camisa xadrez, chapéu de palha e armar fogueira. Além disso, não dá para descuidar do visual: bandeirinhas e balões devem ser bem coloridos e abundantes.

A mesa deve ser farta e atraente, forrada com toalha xadrez e recheada de quitutes clássicos como pinhão, paçoca e milho verde, além das bebidas, quentão e vinho quente.

Dá para improvisar tigelas com chapéus de palha, árvores de bolas de isopor cobertas de pipoca e usar palha seca para criar um clima caipira.

As brincadeiras também devem estar no roteiro. É muito fácil organizar uma pesca em casa, enchendo uma piscininha de plástico com areia, ou mesmo uma torre de latinhas para derrubar com uma bolinha. O correio elegante também anima convidados de todas as idades.


Confira passos para economizar na festa


1º passo - Planejamento: Faça a lista de convidados sem esquecer da quantidade de crianças. Defina o tipo de recepção (jantar, happy hour, almoço, durante a tarde) e considere a estrutura disponível no espaço a ser decorado: quantas mesas principais, mesas de apoio, cadeiras, mesas para os convidados.


2º passo - Peças descartáveis: O uso de descartáveis é muito oportuno e já existem opções refinadas, resistentes e até que acompanham o motivo da festa ou se coordenam formando uma composição interessante e decorativa. Uma ideia bacana é distribuir pequenos lixinhos pelos ambientes para que os convidados sintam-se confortáveis a utilizá-los. Para decorar, é mais prático dar preferência a itens já prontos, que vêm em linhas coordenadas e "self standing", com produtos que não necessitam de fitas adesivas, portanto não vão danificar as paredes ou móveis onde forem aplicados. As canecas ou garrafas podem ser ornamentados com fitinhas e sianinhas; e as bandeirinhas de papel de seda ou chita dão um charme.


3º passo - Comes e bebes: O cálculo dos comes e bebes varia de acordo com o perfil dos convidados e o tempo de duração da festa, mas o padrão é de 1 litro de vinho para cada 4 pessoas; e meio litro em caso de refrigerantes ou sucos. Se optar servir aperitivos no tamanho festa, uma média de 8 unidades por pessoa; e docinhos 5 unidades. E claro, para as festas que demorem mais tempo, sirva pratos quentes como opção de jantar antes da mesa de sobremesas; e aumente a quantidade de bebidas. Os pratos quentes podem ser servidos em cumbuquinhas ou panelinhas de barro ou porcelana de mono porção. As receitinhas mais famosas usam sempre fubá, milho e vinho doce.


4º passo - Barulhinho bom: O ideal é um mix com as tradicionais músicas de quadrilha, forró, sertanejo e agora também o sertanejo universitário.


5º passo - Diversão garantida: A quadrilha e o correio elegante não podem faltar. Para as crianças as brincadeiras das barracas são um sucesso, somente não se esqueça das prendas!

6º passo - Roupa típica: Os convidados até hesitam, porém muitos curtem uma festa à caráter, somente ficam receosos de serem os únicos de fantasia. O ideal é mencionar no convite: traje junino. Muitas vezes os anfitriões se fantasiam de noivo e noiva (e avisam a todos) e pedem aos convidados para serem os padrinhos do casório.

6 comentários:

  1. Falta pelo menos de um mês do São João, a programação de Triunfo já saiu ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada, nada, nada, nada, nada.....

      Excluir
  2. NILTON ALVES FERNANDES1 de junho de 2016 15:17

    ADEUS SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO E SÃO PEDRO NO MUNICÍPIO DE TRIUNFO E AGORA COM A HISTÓRIA DA CRISE É QUE NÃO TEM MESMO.VALHA -ME DEUS!

    ResponderExcluir
  3. NILTON ALVES FERNANDES1 de junho de 2016 15:18

    ADEUS SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO E SÃO PEDRO NO MUNICÍPIO DE TRIUNFO E AGORA COM A HISTÓRIA DA CRISE É QUE NÃO TEM MESMO.VALHA -ME DEUS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  4. Os festejos juninos que antes na Cidade de Triunfo tinha uma tradição muito especial até porque os turistas vinham para conhecer melhor esta grande festa tradicional e que é genuinamente pernambucana já que se concentra muito mais no nordeste estes eventos, infelizmente estão com os dias contados. Há anos que esta festa maravilhosa não tem a comemoração como outrora se tinha e tudo isso por falta de programação, projeto e irresponsabilidade do poder público. Organizar araiais em bairros sempre foi uma constante e o apoio do poder público existia mas o povo era quem realmente fazia acontecer. Há anos que o poder público fecha os olhos para esta festa tradicional e até viajam para curtirem em Caruarú ou em Campina grande deixando o município sem nada. Enquanto esta administração e aqueles que apoiam a mesma continuarem com o poder nas mãos, continuaremos sem absolutamente nada e certamente o fim das festas tradicionais estão fadadas a acontecer.

    ResponderExcluir

Caro leitor, seja educado em seu comentário. O Blog Opinião reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório e ofensivo, como também os que contenham palavras de baixo calão. Solicitamos a gentileza de colocarem o nome e sobrenome mesmo quando escolherem a opção anônimo. Pedimos respeito pela opinião alheia, mesmo que não concordemos com tudo que se diz.
Agradecemos a sua participação!

NOSSOS LEITORES PELO MUNDO!